BrasilCAMPINA GRANDEColunistasDestaqueGeraisParaíbaPolicialPolíticaSaúdeTHIAGO MENEZES
Tendência

SEAP abre procedimento administrativo contra policial penal que matou esposa e cunhada

A Secretaria de Estado da Administração Penitenciária  emitiu uma nota oficial sobre o caso envolvendo um policial penal que matou sua esposa e cunhada no bairro João Paulo II, em João Pessoa, na tarde deste domingo (2). Osmany Moraes, de 60 anos, foi preso em flagrante após o crime.

A Seap informou que, além dos procedimentos judiciais em andamento, adotará medidas administrativas para apurar a conduta funcional do servidor.

Conforme informações fornecidas pelo comandante do 5º BPM, tenente coronel Ferreira, uma guarnição foi acionada para uma ocorrência de violência doméstica no local.  “Quando a viatura chegou na casa, a filha do policial penal autorizou a entrada. Quando ele avistou os policiais disse: ‘chamaram a polícia foi?’ E daí começou a atirar matando a esposa e a cunhada dele”, disse o coronel. 

Ainda segundo o coronel, o genro do policial conseguiu desarmá-lo e deu uma coronhada nele que o fez desmaiar. O Samu foi chamado para fazer o socorro até o hospital. Osmany Moraes tinha passado a noite de plantão no Presídio Silvio Porto. 

Foi informado também que ao menos seis pessoas estavam na casa durante o crime, incluindo crianças. E que uma filha do casal presenciou parte do crime sendo cometido.

O delegado Dr. Diego Garcia, da Polícia Civil da Paraíba, declarou e classificou o ocorrido como “uma tragédia”. Ele destacou ainda que o suspeito e a vítima já vinham em um relacionamento conturbado, com inúmeras discussões e problemas. Testemunhas informaram inclusive que não era a primeira vez que ambos brigavam.

Osmany foi preso em flagrante pouco depois do crime, quando tentava atirar a esmo contra os policiais. O delegado disse que ele vai ser indiciado por duplo feminicídio, praticado por motivo fútil e sem dar direito à defesa das vítimas, e que alguns agravantes incluídos na Lei Maria da Penha vão ser incorporados à acusação.

O escritório Thiago Menezes atua em causas previdênciarias, auxílio por incapacidade temporária, auxílio-acidente, aposentadoria, pensão por morte ou auxílio-reclusão da Previdência Social e semelhantes.

https://www.instagram.com/reel/CUFoYrFFgE6/?utm_source=ig_web_copy_link&igsh=MzRlODBiNWFlZA==

Email: thiago.jurista@gmail.com

A reprodução das notícias é autorizada, gratuita desde que cite “Diário Paraibano”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *