BrasilColunistasDestaqueGeraisGOVERNOJoão PessoaMundoParaíbaPolíticaREDE PÚBLICASaúdeSertãoTHIAGO MENEZESTurismo
Tendência

Paraíba está em situação de emergência na saúde pública.

O governador João Azevêdo decretou nesta quinta-feira (16) situação de emergência após o aumento dos casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG). A Secretaria de Saúde do Estado divulgou detalhes de um plano de contingência, segundo a pasta, a Paraíba possui 98 leitos de enfermaria em três macrorregiões de saúde para tratar das doenças.

O aumento de casos de doenças respiratórias. O decreto, que tem validade por 90 dias, foi assinado pelo governador João Azevêdo e publicado na edição desta quinta-feira (16), no Diário Oficial do Estado (DOE).

De acordo com o texto, a Paraíba está autorizada para adotar as medidas administrativas essenciais para atender e conter a situação emergencial, a partir do monitoramento dos dados, análise da evolução do quadro do agravo e na taxa de ocupação hospitalar.

Segundo o Boletim Epidemiológico nº 4-2024, divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde (SES), até o momento, foram contabilizados 619 casos de doenças respiratórias graves nas 16 primeiras semanas de 2024, registrando um aumento de 342,14% de casos comparados a 2023, que conta com apenas 140 casos no mesmo período.

O Secretário Executivo de Gestão de Rede de Unidades de Saúde, Patrick Almeida relatou que o decreto da situação de emergência auxilia a transferência de recursos e atua como uma medida de prevenção. O plano também ira contar com 20 leitos de unidade de terapia intensiva equipados com ventiladores, bomba de fusão e médicos pediátricos, assim como uma robusta rede de telemedicina que vai dar suporte a partir da primeira região de saúde todas as macrorregiões.

“Um dos principais pontos é que esse decreto facilita a transferência de recursos entre o Ministério da Saúde e o Poder Público Federal e a Secretaria de Estado da Saúde e o Poder Público Estadual. Junto com esse decreto de emergência também criamos a sala de situação para acompanhar todos os números e os dados epidemiológicos para fazer de fato a vigilância em saúde das síndromes respiratórias agudas graves. Tanto de influenza, que é a famosa gripe, quanto de Covid, quanto de vírus essencial respiratório”, declarou o secretário.

Segundo o secretário, esse plano de contingência vem com um protocolo clínico que instrui os médicos, enfermeiros e profissionais de saúde a como conduzir esses casos de síndromes. Patrick ainda tranquilizou a população em relação a “situação de emergência”.

“Não é um momento de desespero, um decreto de emergência em saúde pública é uma medida administrativa, não é desespero, mas é uma medida de alerta, para que a população fique em alerta, para que a população procure os postos de vacinação, para a população não se exponha a ambientes de aglomeração sem a devida proteção”, finalizou.

O escritório Thiago Menezes atua em causas previdenciárias, auxílio por incapacidade temporária, auxílio-acidente, aposentadoria, pensão por morte ou auxílio-reclusão da Previdência Social e semelhantes.

https://www.instagram.com/reel/CUFoYrFFgE6/?utm_source=ig_web_copy_link&igsh=MzRlODBiNWFlZA==

Email: thiago.jurista@gmail.com

A reprodução das notícias é autorizada, gratuita desde que cite “Diário Paraibano”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *