BrasilColunistasDestaqueEleições 2024GeraisGOVERNOJoão PessoaJustiçaParaíbaPolicialPolíticaREDE PÚBLICATAXA DE INSCRIÇÃO
Tendência

Operação Livro Aberto da PF: 12 mandados tem deputados e empresários como alvos no governo Ricardo Coutinho

A Polícia Federal deflagrou nesta terça-feira (11) a “Operação Livro Aberto”, que visa a reprimir a prática dos crimes de fraude à licitação, desvio de recursos públicos, corrupção passiva, corrupção ativa e lavagem de dinheiro, relacionados a contratos formalizados pela Secretaria de Estado da Educação no ano de 2018, último ano do mandato do ex-governador Ricardo Coutinho (PT). PF disse que dois deputados estaduais e empresários são alvos das apreensões.

A Polícia Federal deflagrou nesta terça-feira (11), a “Operação Livro Aberto”, que visa a reprimir a prática dos crimes de fraude à licitação, desvio de recursos públicos, corrupção passiva, corrupção ativa e lavagem de dinheiro, relacionados a contratos formalizados pela Secretaria de Estado da Educação no ano de 2018.
Operação investiga fraudes em licitações, foram cumpridos 12 mandados de busca e apreensão expedidos pelo Superior Tribunal de Justiça, além da indisponibilidade de bens, valores, dinheiro e ativos dos investigados visando recompor o erário público em valores que superam R$ 4 milhões.

Os mandados de busca e apreensão foram cumpridos em João Pessoa, nos bairros de Miramar, Manaíra e Altiplano; em Campina Grande, nos bairros Monte Santo, Alto Branco, Centenário e Malvinas; em Ponta de Pedras, no estado de Pernambuco; Arapiraca, em Alagoas; e Lagoa Seca.

O cumprimento das medidas cautelares tem o objetivo de colher elementos informativos para investigação iniciada em 2019, que apura o possível pagamento de propina a agentes políticos no Estado da Paraíba.

Na Paraíba foram cumpridos mandados em oito locais diferentes, em João Pessoa, nos bairros Miramar, Manaíra, Altiplano, em Campina Grande nos bairros Monte Santo, Alto Branco, Centenário e Malvinas e na cidade de Lagoa Seca. Também aconteceu em outros Estados, como em Pernambucano em Ponta de Pedra, em Alagoas, na cidade de Arapiraca, no bairro Canafistula.

Confira quem são os investigados na operação Livro Aberto

  • Artur Cunha Lima, conselheiro do Tribunal de Contas do Estado
  • Lindolfo Pires, ex-deputado estadual e atual secretário da Sejel-PB
  • Branco Mendes, deputado estadual
  • Tião Gomes (PSB), deputado estadual
  • Artur Cunha Lima Filho (PL), ex-deputado estadual
  • Edmilson Soares, ex-deputado estadual
  • Genival Matias, ex-deputado estadual (que morreu em 2020)

Conforme a PF, os suspeitos são investigados pelos crimes de fraude em licitação, desvio de recursos públicos, corrupção passiva, corrupção ativa e lavagem de dinheiro.

 A assessoria de imprensa da PF informou que além de mandados de busca e apreensão em endereços de Branco Mendes e Lindolfo Pires, houve buscas e apreensões em endereços ligados à empresa que firmou contrato com o Governo da Paraíba em 2018, época em que o governador ainda era Ricardo Coutinho (PT). Outros alvos foram empresas por onde o dinheiro ilícito teria passado.

O escritório Thiago Menezes atua em causas previdênciarias, auxílio por incapacidade temporária, auxílio-acidente, aposentadoria, pensão por morte ou auxílio-reclusão da Previdência Social e semelhantes.

https://www.instagram.com/reel/CUFoYrFFgE6/?utm_source=ig_web_copy_link&igsh=MzRlODBiNWFlZA==

Email: thiago.jurista@gmail.com

A reprodução das notícias é autorizada, gratuita desde que cite “Diário Paraibano”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *